Espaço

FAZER CAMINHADAS...NOS VÁRIOS PERCURSOS PEDESTRES

Andar a pé é uma excelente e saudável forma de conhecer uma região. No concelho da Batalha, pode desfrutar de 4 percursos que lhe permitirão descobrir a beleza natural da paisagem, aliando-a ao Património, à História e à Cultura. Do vale à serra, os pés dos amantes desta modalidade desportiva, são levados por itinerários que permitem a observação de diversas espécies de animais e de plantas, algumas delas únicas em todo o país.




PERCURSO PR1 - Mata do Cerejal

O Percurso Pedestre Mata do Cerejal tem início junto às capelas de S. Mateus e de Nossa Senhora do Ó, classificados como imóveis de interesse religioso, percorrendo de seguida os principais locais de interesse do lugar de Alcanadas.

Parte do percurso está inserido numa área classificada da Rede Natura 2000, onde é possível observar importantes valores naturais. A parte intermédia deste desenvolve-se em redor da própria mata, uma zona vegetativa bastante rica e diversa em espécies animais e vegetais.

Durante a passagem pelos diversos lugares da localidade de Alcanadas, deparamo-nos com alguns pontos de importância histórica, como a Boca da Mina de Carvão das Barrogeiras (já inactiva), e os Polvarinhos (onde se armazenava a pólvora utilizada na actividade mineira).

Partida e Chegada: Junto à Capela de S. Mateus
GPS: N 39º 38' 04,725''  |  W -08º 47' 59,864''
Tipo de Percurso: Circular, de pequena rota, por caminhos rurais, carreiros e calçada
Distância do Percurso: 6 Km
Duração: aproximadamente 2h20
Grau dificuldade: Médio
Época aconselhada: Todo o ano



PERCURSO PR2 - Buraco Roto

O Percurso Pedestre Buraco Roto inicia-se no Largo da Praça da Fonte, o centro da Freguesia de Reguengo do Fetal, em direcção ao Buraco Roto. Esta é uma gruta necrópole de uma beleza e enquadramento paisagístico deslumbrante. Nos meses mais chuvosos, debita grandes quantidades de água, criando uma impressionante cascata. Localiza-se no meio de uma zona de mata, onde os carvalhos, os loureiros e os sobreiros se destacam.

Em diante, o percurso propicia a passagem por uma caminho empedrado, utilizado pelos peregrinos em direcção ao Santuário de Fátima, alçando-se depois o Vale do Malhadouro, um dos locais onde é possível observar à prática da escalada. Esta zona é uma das mais utilizadas em Portugal pelos amantes deste desporto de montanha.

Durante esta viagem é possível ver ainda, a Chaminé - fenómeno natural resultante da erosão da água e do vento - e a Pia da Ovelha (cova natural de grandes dimensões) que deve o seu nome à pia aí construída por baixo de uma estalactite e que goteja com abundância na época das chuvas. Era utilizada no passado para dar de beber ao gado.

Partida e Chegada: Largo da Praça da Fonte, no centro do Reguengo do Fétal
GPS: N 39º 38' 21,179'' | W -08º 45' 49,687''
Tipo de Percurso: Circular, de pequena rota, por caminhos rurais, carreteiros e calçada
Distância do Percurso: 6 Km
Duração aproximada: 2h30
Desnível do percurso: 230 metros
Grau de dificuldade: Médio
Época aconselhada: Todo o ano, de preferência em dias não chuvosos, devido às passagens do percurso por solo de rocha calcária que se torna perigosa quando molhada.



PERCURSO PR3 - Rota dos Moinhos

O Percurso Pedestre Rota dos Moinhos inicia-se junto à escola Básica dos Crespos, próximo da entrada Norte do Ecoparque Sensorial da Pia do Urso. É um percurso que permite o contacto com a Natureza, podendo ser obervadas inúmeras espécies animais e vegetais. Todo o percurso é marcado por vários moinhos, alguns deles ainda em funcionamento, tais como o Moinhos do Casaca.

Passamos depois pelo Moinho do Zé Cuco que esteve em ruínas durante épocas, mas que um dos filhos do proprietário dedicou-se à moagem dos cereais e acabou por reconstruir o moinho do pai.

Chegamos depois ao Moinho do Manuel Moleiro, seguindo-se o Moinho do Mocho. Mesmo em frente podemos observar as ruínas da Capela de São Mamede.

Seguimos depois pelo mesmo caminho utilizado pelos romeiros no Séc. XVI e deparamo-nos depois com o Carreiro das Lajes. A partir daqui, encontramos o Murrial e os seus moinhos, não se conhecendo as suas datas de construção. De um total de 10 moinhos, restam agora apenas 2.

Chegados ao Moinho do Castelinho, de seguida segue-se o Ecoparque Sensorial Pia do Urso, o primeiro equipamento do nosso país totalmente vocacionado para a apreensão do meio envolvente por cidadãos de deficiência visual. Um lugar mágico, que merece uma visita atenta.

Partida e Chegada: Junto à escola básica dos Crespos
GPS: N 39º 36' 12,355'' | W -08º 42' 05,158''
Tipo de Percurso: Circular, de pequena rota, por caminhos rurais, carreteiros e calçada
Distância do Percurso: 6,7 Km
Duração: Aproximadamente 3 horas
Grau de dificuldade: Médio
Época aconselhada: Todo o ano, de preferência em dias não chuvosos, devido ao solo de rocha calcária que se encontra no percurso e se torna perigoso quando molhado.



PERCURSO PR4 - Caminho de Ferro Mineiro do Lena

Construído nos anos 20 para escoar o carvão da pequena bacia carbonífera da Batalha (Mata e Barrojeiras), o Ramal do Lena ligava, na primeira fase, a Linha do Oeste, na Martingança, à histórica Vila, com término no Pinhal Manso, no local que passou a ser designado por Estação Velha, entre a Vila Facaia e a Jardoeira.

Das minas, o carvão era transportado até à estação batalhense, em carroças e em caminhões que davam os primeiros passos na época, o que não podia ser ainda a solução definitiva para o escoamento do carvão feito de forma rápida e tanto quanto possível rendível.

Modificou-se e alongou-se então o traçado da linha que se encaminhou, sensivelmente a partir da estação dos Pinheiros, pelo vale do Ribeiro da Calvaria, abrindo-se-lhe um arco no extremo sul da Ponte da Boitaca, erguida no reinado de D. Luís I (anos 60 do século XIX), até às Cancelas, topónimo dos arredores da Batalha já mencionado no século XVII; sítio da nova e melhor apetrechada estação, e pelo Vale do Lena, com desvio nas Brancas para as Alcanadas, onde se situavam as minas, continuando-se até à Corredoura, no Concelho de Porto de Mós e terminando na Mina da Bezerra.

Partida ou Chegada: Ponte da Boitaca ou Minas das Barrojeiras
Coordenadas: 39º39'26'';-08º49'54'' ou 39º22'14'';-08º48'15''
Extensão: 6 Km
Duração aproximada: 1h45m
Tipo de percurso: De pequena rota, por caminhos rurais e asfalto
Grau de dificuldade: Baixo


DISFRUTE DA LOCALIZAÇÃO DO NOSSO HOTEL E EXPERIMENTE A REGIÃO OESTE
2020 RECOGNITION OF EXCELLENCE HotelsCombined
9.1 Rated by Guests
trivago Awards 2017
RNET 110
Copyright © HOTEL CASA DO OUTEIRO 2017
Desenvolvimento e Design:
Desenvolvimento e Design: